IMG_2551.jpg


Casas e edifício misto - MBV2
 

Autores

Bruno Braga, Bruno Perdigão, Igor Ribeiro, Luiz Cattony

Colaborador

Francisco Navarrete (arquiteto)

Fotos

Igor Ribeiro

Sobral - CE, 2017/2020

 

A demanda inicial para o projeto era a construção de um conjunto de casas unifamiliares geminadas em loteamento na área de expansão da cidade de Sobral, localizada no semiárido cearense. Ao se analisar os 25 lotes do projeto, percebeu-se que sua diversidade – 11 lotes de 175,00m2, 13 lotes de 210m2 e 01 lote de 275,00m2 – possibilitava variação nas soluções. Assim, a proposta resultou em dois projetos: o conjunto de residências Casas MBV2 e o Edifício Misto MBV2.

As Casas MBV2 lidaram com dois âmbitos distintos: privado, referente à solução da residência em si, e público, uma vez que o conjunto adquire uma escala de conjunto urbano. 

Na primeira, foram propostos dois tamanhos de unidades, de dois e três quartos (87,50m2 e 104,00m2, respectivamente). A partir do volume possível de construção, foi executada uma série de operações de extração para criação dos espaços internos, como se vê nas esquadrias recuadas e nos pátios internos, individualizados para cada ambiente da casa, que aproveitam os recuos laterais, além de contarem com pergolados que filtram a luz, marcam a passagem do tempo mesmo sem que veja o exterior, e ainda garantem a segurança do interior. Estas estratégias funcionam tanto para ampliar os espaços internos, que possuem área mais restrita devido às medidas do lote, quanto para melhor performance climática, permitindo ventilação cruzada e iluminação indireta, adequadas ao clima local. 

No aspecto urbano do conjunto, por se tratar de uma série de casas, pensou-se em criar diversidade e permeabilidade nas frentes – perceptível nos desenhos das calçadas, muros e gradis – no sentido de criar uma urbanidade interessante ao conjunto e seu entorno. Além disso, a percepção de conjunto e da tipologia da casa geminada acontece pelo compartilhamento dos pátios e das caixas d’água, neste último, inclusive concentrando as instalações a cada duas unidades.

 

 

 

O Edifício Misto MBV2 surgiu da percepção de que no lote da esquina, de maiores dimensões, seria possível inserir um pequeno edifício ao invés de mais uma unidade de residência unifamiliar, potencializando o retorno financeiro do empreendimento. Foram propostas 04 unidades comerciais no térreo e dois pavimentos com duas unidades residenciais em cada. O arranjo interno se organiza em torno da circulação vertical centralizada, a partir da qual se inverte a posição entre as frentes dos usos comercial e residencial, voltando as lojas para a maior frente e as unidades para as menores, espelhadas pelo eixo vertical e compatibilizadas por uma estrutura quadrada de concreto. As aberturas nas maiores fachadas são estreitas e pontuais, protegendo o interior do excesso de insolação, além da presença de cobogós nas áreas comuns de circulação.

O edifício compõe o conjunto construído das Casas MBV2 complementando-as funcionalmente através da diversidade de usos, dinamizando a área e criando frente ativa com os comércios, mas também destacando-se formalmente, com o térreo de cor mais escura, atuando com um negativo do padrão criado pelas frentes das casas, o que é reforçado pela presença das vigas que intensificam sua verticalização e sobreposição de unidades, em contraponto à horizontalidade do conjunto de casas.